sábado, 21 de junho de 2008

Argentina endurece negociação da Rodada Doha


A Argentina endureceu as negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC). No mês passado, foram apresentadas duas propostas, de abertura agrícola e de liberalização industrial, mas ainda não há acordo, sequer do lado dos países periféricos. O Brasil aceita discutir a proposta, mas a Argentina decidiu endurecer as negociações.

"O Mercosul não tem uma posição comum na Rodada Doha", afirmou o chefe de gabinete da direção geral da OMC, o brasileiro Victor do Prado. "Brasil, Paraguai e Uruguai dizem que a proposta agrícola é uma boa base para negociar. Para a Argentina não serve porque considera que há mais ambição na agricultura que na indústria", explicou Prado.

Assim, a Argentina distancia-se do Brasil e une-se à outro país estratégico nas negociações: a Índia. Até o ano passado, os três países tinham posição comum na OMC no que tange à abertura industrial, mas nas últimas semanas Argentina e Índia se diferenciaram e conjuntamente se manifestaram contra a nova proposta da Organização.

O novo impasse deve levar a Rodada mais uma vez ao estado de hibernação, alertam especialistas. Dados a posição argentina e indiana e a ausência do fast track (processo rápido de aprovação de acordos de comércio) americano , politólogos prevêem que o estado de latência da rodada dure até fins de 2009 ou início de 2010.

Matéria do La Nación argentino.

Um comentário:

Luana disse...

So nos faltava essa ! Pelo jeito, a rodada Doha só vai andar quando a gente chegar pra botar ordem na bagunça !

Compromete-se demais a imagem do mercosul como bloco esse afastamento argentino. Um pouco de bom senso da parte deles não faria mal. caminhando juntos, poderiamos chegar a acordos pra ambos os gostos.